segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Eleições geram renda extra para cidadãos e empresas

Foto: Agência de Notícias UNIESP

Em todo ano de eleição, milhares de empregos temporários são criados. Balançar bandeiras e entregar "santinhos" estão entre os mais populares. Mas não é somente o cidadão o beneficiado com esse período. Gráficas e agências de publicidade também precisam, muitas vezes, de mais profissionais. É simples: aumento de demanda acarreta um aumento de produção, e portanto crescem as oportunidades de emprego.

Na verdade, não são empregos temporários. Esses empregos gerados são contratações por prazo determinado, diz o procurador do trabalho Eduardo Varandas em entrevista ao Jornal da Paraíba. “No contrato de trabalho por prazo determinado, embora a CLT não obrigue, recomenda-se que haja um termo escrito. De qualquer forma, esta condição deverá ser anotada na Carteira de Trabalho e Previdência Social do Trabalhador com o início e o término da relação de emprego. Como o termo final do trabalho já é previsto no momento da contratação, não haverá necessidade de pagamento de aviso prévio ou multa sobre os depósitos do FGTS”, esclarece.

A estudante Ana Karine Lopes, 26, diz que sempre aguarda por essa época do ano. "Dá pra juntar um bom dinheiro pras despesas de final de ano", afirma. Ana Karine diz que começou a trabalhar desde os 17 com a mãe. "Minha mãe sempre trabalhou nas eleições, e eu me divertia muito seguindo seus passos." Ela conta que a diversão do trabalho é a competição política em si.

Foto: Agência de Notícias UNIESP

A produção em gráficas chega até mesmo a triplicar. São contratados mais funcionários devido à grande demanda. As agências de publicidade também são bastante beneficiadas com as eleições. O publicitário Fábio Reis diz, em entrevista à TV UOL, diz que vale a pena trabalhar nesse período, embora seja exaustivo e consuma muito do seu tempo livre. Ele ainda afirma que a época é ideal para produzir e mostrar trabalhos políticos.

Angela Maria, 57, diz que esses empregos são o lado positivo da eleição. "É um dinheiro que vem em uma boa hora", diz. Mas a dona de casa afirma que outra consequência dessas campanhas é a grande poluição que fica pela cidade. "Fica tudo cheio de papel no chão, e os muros todos cheios de propagandas por vários meses após a eleição", diz. Ela aponta que é necessário criarem medidas para controlar a poluição oriunda das campanhas.

Atualmente, as pesquisas eleitorais indicam que Eunício Oliveira (PMDB) e Camilo Santana (PT) são os candidatos com as maiores intenções de votos para o Governo do Estado do Ceará. Eles também contam com mais doações de empresas privadas para suas campanhas que os demais candidatos. De acordo com a segunda prestação de contas parcial do candidatos a Governo do Estado, Camilo gastou mais de 11 milhões, dos quais quase 9 milhões são de doações. Já Eunício gastou mais de 6 milhões. Todo o dinheiro declarado pelo candidato do PMDB vem de arrecadação. Dessa forma, esses dois candidatos movimentam mais o mercado nesse período promovendo mais empregos temporários.

3 comentários:

  1. Acho interessante ver que mesmo diante de todo cenário caótico relacionado a política, é possível extrair algo de bom. Enfim algo útil relacionado ao período eleitoral!

    ResponderExcluir
  2. Acho muito bom esses empregos temporários.Acredito que ajuda bastante na renda de pessoas que estão há um tempo sem trabalhar e também para quem quer fazer umas economias para gastar no final do ano que está chegando.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do texto. Acho interessante esse emprego provisório. Contudo, não gosto da poluição feita pelos partidos na entrega de panfletos. É umas das épocas em que mais se polui.

    ResponderExcluir